Levi Fernandes levi.fernandes@entroncamentoonline.pt

O ombro é a articulação com maior mobilidade do corpo humano e é graças a ela que conseguimos levar a mão onde queremos e precisamos. 

Esta articulação é constituída por várias estruturas: osso, cartilagem, ligamentos e músculos e seus tendões. O conjunto de quatro músculos e tendões do ombro é designado Coifa dos Rotadores.

A dor no ombro é um sintoma muito frequente e pode condicionar de forma significativa a realização de atividades da vida diária.

Geralmente a dor no ombro deve-se a uma de cinco patologias que afetam esta articulação:

  1. Tendinopatia Calcificada
  2. Rotura da Coifa dos Rotadores (rotura dos tendões do ombro)
  3. Artrose do Ombro (Omartrose)
  4. Luxação (Instabilidade)
  5. Capsulite Adesiva

A tendinopatia calcificada é uma doença muito frequente, benigna e geralmente de resolução espontânea (autolimitada). Por razões ainda não totalmente esclarecidas, surgem aglomerados de cristais de cálcio que se depositam dentro dos tendões da coifa dos rotadores. Estas “calcificações” vão crescendo e dando dores intermitentes até à altura em que se “desfazem”, levando a um processo inflamatório que causa dor intensa e muitas vezes leva o doente a uma consulta onde é feito o diagnóstico.

A rotura dos tendões da coifa dos rotadores é caracterizada por uma dor que pode ser aguda, após um evento traumático, ou crónica, resultante de um desgaste progressivo dos tendões. É uma dor intermitente, muitas vezes nocturna, de agravamento contínuo, e normalmente acompanhada por uma perda de força. Quando ocorre a rotura de um tendão, esta não tem potencial de cicatrização e vai aumentando com o tempo, sendo importante a procura de ajuda especializada para avaliação e tratamento atempado.

A omartrose é o desgaste da articulação do ombro, que ocorre também em outras articulações como o joelho ou a anca. No entanto, visto o ombro não ser uma articulação de carga, é menos frequente. A perda de cartilagem condiciona dores de agravamento progressivo associadas a rigidez. Pode ocorrer como sequela de fractura ou estar associada a patologias inflamatórias como a artrite reumatóide. Quando a origem é desconhecia designa-se de omartrose idiopática

A luxação do ombro é uma lesão grave que resulta muitas vezes de uma queda com o braço estendido ou em que o braço “fica para trás”, e o ombro “sai do lugar”. Nestes casos é necessário procurar ajuda urgente para colocar novamente o ombro na sua posição original, e serem estudadas as lesões associadas de modo a orientar o tratamento.

Por fim, a capsulite adesiva, ou ombro congelado, é uma doença benigna de causa desconhecida que começa com uma dor persistente associada a uma limitação da mobilidade, sobretudo em rodar o braço para fora. Deve ser reconhecida precocemente para poder ser tratada e resolvida sem deixar sequelas.

Assim, as dores no ombro que sentimos e que vulgarmente chamamos de “tendinite” devem ser avaliadas e estudadas para que o diagnostico seja preciso permitindo assim um tratamento adequado e atempado, reduzindo a probabilidade de sequelas.

Artigo redigido por Dr. Levi Reina Fernandes (OM:53498), Médico Ortopedista dedicado a Patologia do Joelho do Hospital da CUF Santarém e Clínica Sanus em Torres Novas.