PUB
Levi Fernandes levi.fernandes@entroncamentoonline.pt

Os meniscos são das estruturas mais importantes da articulação do joelho. Tem forma de “C” e funcionam como amortecedores entre o osso da coxa e da perna (fémur e tíbia). São resistentes e ao mesmo tempo flexíveis, contribuindo também para a estabilidade da articulação.

As lesões do menisco ou roturas do menisco podem ser traumáticas (após uma entorse do joelho) ou degenerativas (surgindo com o tempo e alguns movimentos repetitivos).

As roturas traumáticas são frequentes no contexto desportivo, afetando doentes jovens e ativos. Muitas vezes tem lesões associadas, como a rotura do ligamento cruzado anterior. Como os meniscos são protetores da articulação e da cartilagem, uma rotura aguda num doente jovem vai por em risco o futuro do joelho. Deve ser tentada ao máximo a preservação dos meniscos, recorrendo a técnicas cirúrgicas de sutura e reparação.

As roturas degenerativas são lesões diferentes, que se vão desenvolvendo ao longo do tempo. Normalmente não há história de um traumatismo e o início da dor e desconforto é gradual.

Cerca de 25% a 35% das pessoas com 50 a 70 anos vão apresentar este tipo de roturas.

O tratamento inicial consiste na administração de analgésicos, anti-inflamatórios, fisioterapia para reforço muscular e infiltrações articulares/ viscossuplementação.

Quando a pessoa mantém o desconforto mesmo após a primeira fase de tratamento, ou quando apresenta sintomas de bloqueio, dor ou instabilidade pode ser necessário prosseguir para o tratamento cirúrgico.

O tratamento mais utilizado é a Artroscopia. Por uma abordagem minimamente invasiva (com dois “furinhos”), é usada uma câmara e vários instrumentos cirúrgicos para abordar a lesão meniscal de forma minuciosa. Na maioria das vezes esta lesão é regularizada, de modo a deixar de causar conflito dentro da articulação. Mais uma vez, sendo os meniscos estruturas protetoras, o cirurgião irá remover apenas as partes danificadas e incompetentes, preservando a maior quantidade de menisco são possível.

É uma cirurgia pouco agressiva, que permite uma recuperação rápida.

Se tem sintomas do Joelho que o impedem de fazer uma vida normal, procure um Ortopedista dedicado à Patologia do Joelho para um diagnóstico e tratamento adequado.

Redigido por Dr. Levi Reina Fernandes (OM:53498), Médico Ortopedista dedicado à Patologia do Joelho do Hospital da CUF Santarém e Clínica Sanus em Torres Novas.

PUB