PUB
  1. O que destaca no seu programa (No máximo de 3000 carateres)

Temos a ambição duma cidade que responda às necessidades das pessoas, de forma sustentável, inclusiva, competitiva e que responda aos desafios da transição climática e digital.

Destaco:

A promoção da instalação de novas empresas e a criação de 500 novos postos de trabalho.

A continuação da reabilitação dos bairros ferroviários.

Continuar a reabilitação urbana um pouco por toda a cidade.

Implementar a Estratégia Local de Habitação construindo 120 novos fogos e estimular e promover a reabilitação do edificado privado.

Continuar a eliminação de barreiras arquitetónicas melhorando as condições de inclusão e mobilidade.

Em conjunto com as IP SA concretizar a ligação das zonas industriais e de logística do Entroncamento e dos Riachos à Autoestrada A23.

Em conjunto com as IP SA concretizar a supressão da passagem de nível da linha da beira baixa.

Promover a criação do Centro Criativo do Entroncamento orientado para acolher serviços partilhados.

Continuar a promover políticas sociais de apoio aos mais vulneráveis, visando a sua integração.

Continuaremos a apoiar ativamente as IPSS da cidade (SCME, CERE, ALFER, ENCOPROF e Liga dos Combatentes) para a construção e/ou ampliação dos seus equipamentos sociais.

Os investimentos previstos permitirão um aumento de 124 camas, um novo centro de apoio a idosos e a criação de 82 postos de trabalho diretos.

Requalificar a Escola Secundária do Entroncamento.

Reconstruir o Jardim de Infância Sophia Mello Breyner Andresen (JISMBA).

Continuar os esforços para instalação na cidade do Ensino Superior na área da Engenharia e dos Transportes.

Prosseguir a consolidação do Entroncamento como Cidade Educadora e amiga das crianças.

 

Promover a criação de um Centro de Ciência Viva na área da mobilidade e ferrovia, e a instalação do Centro de Documentação Nacional Ferroviário.

Vamos requalificar e transformar o Bairro do Boneco num Bairro Cultural.

Construir a Biblioteca na nova praça pública que vai nascer nos terrenos recentemente adquiridos pela CME em frente da entrada do Museu Nacional Ferroviário.

Assegurar a continuidade de eventos: Festas da Cidade e S. João, Festival Vapor SteamPunk, Ciclo de Jazz (no outono), Street Food, Programas de Cultura em Rede, Feira de Natal, entre outros.

Manter uma programação regular e diversificada de eventos culturais.

Continuar a apoiar e a promover as associações culturais.

Continuar a apoiar ativamente o desenvolvimento e promoção do Museu Nacional Ferroviário.

Criação de um espaço da juventude para promover a participação, as iniciativas e empreendedorismo dos jovens.

Promover a oferta de alojamento para os jovens.

Promover a realização do festival de música para a juventude.

Organizar a Gala das Associações.

Criação de um centro de BTT no Bonito. Promover a criação de campos de Padel.

Continuar a racionalizar os consumos energéticos e a promover políticas de eficiência energética.

Promover a criação de Comunidades Energéticas de Fontes de Energias Renováveis.

Substituir os autocarros da frota dos TURE por autocarros elétricos.

Criar o Plano Municipal para a neutralidade carbónica.

Continuar a aumentar a rede de ciclovias.

Instalar bicicletas partilhadas.

Manter transportes urbanos gratuitos, para crianças e jovens até aos 30 anos, para portadores de deficiência e tarifas reduzidas para os idosos.

Continuar a promover a melhoria do bem-estar animal. Vamos colaborar na construção do novo canil intermunicipal.

Continuar a expandir a rede WiFi de acesso gratuito.

Continuar a manter o rigor e transparência na gestão.

 

  1. Porque acha que deve ser eleito

Porque temos uma ideia estratégica clara para a cidade, ambição de a transformar e porque temos uma equipa séria, de confiança, competente e dedicada.

O nosso trabalho responde por nós.

 

  1. O que faltou fazer no último mandato

Conforme poderão avaliar pelo documento de PRESTAR CONTAS que divulgámos, não obstante as dificuldades associadas à Pandemia COVID 19, cumprimos de forma geral os compromissos que divulgámos no nosso programa para o mandato 2017/21.

 

  1. O Entroncamento é uma cidade segura?

Temos na nossa cidade problemas de segurança associados ao comportamento de alguns grupos específicos claramente identificados e monitorizados pelas forças de segurança. Contudo há uma perceção de insegurança que não corresponde à realidade dado que, com exceção de algumas áreas bem definidas e delimitadas, é perfeitamente seguro circular e viver na nossa cidade.

Temos vindo a trabalhar para reforçar o papel da PSP como garante da ordem pública e da democracia. Vamos continuar esse trabalho.

Está concluído o projeto e vamos construir em parceria com o Ministério da Administração Interna, a nova esquadra da PSP do Entroncamento em terreno junto ao centro de saúde, adquirido recentemente pela Câmara Municipal, para melhorar a resposta às necessidades da nossa comunidade.

 

  1. Se for eleito, qual é a primeira medida que vai tomar

Continuar a trabalhar de forma séria, competente e dedicada, como sempre temos feito, para melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem na nossa cidade.

 

  1. O que é prioritário mudar na cidade?

Vamos procurar dar continuidade ao trabalho em curso, centrando-se as prioridades do nosso programa em seis eixos estratégicos:

  1. Uma Cidade Moderna e do Conhecimento;
  2. Desenvolvimento Económico, Emprego e Inovação;
  3. Cidade Inclusiva e Solidária;
  4. Associativismo, Desporto e Vida Saudável;
  5. Cidade Educadora, da Cultura e Inovadora;
  6. Cidade Sustentável e Inteligente

A concretização destas orientações estratégicas apenas será possível com o apoio e participação ativa de todos os membros que constituem a nossa comunidade.

 

  1. A Covid-19 foi (está a ser) bem combatida na cidade?

A pandemia COVID 19 alterou profundamente as nossas vidas e o funcionamento das instituições, provocando um nível de crise sanitária, social e económica sem precedentes.

Desde a primeira hora temos tralhado e envolvido ativamente as autoridades de saúde, área social, proteção civil e empresas para em conjunto respondermos de forma serena e segura aos desafios desta pandemia. Demos e continuamos a dar o nosso melhor.

Apesar do elevado nível de mobilidade das pessoas da nossa cidade, felizmente os resultados até ao momento permitem-nos afirmar com alívio que temos conseguido minimizar os efeitos nefastos da pandemia.

 

  1. O recente aumento da procura da cidade para viver, faz crer que o Entroncamento continuará a ser uma cidade-dormitório?

Hoje a cidade tem uma estrutura urbana de qualidade e oferece um conjunto de serviços de grande qualidade, conforme pode ser validado pelos variados indicadores publicados pelas entidades públicas, que permitem concluir que hoje já não somos uma cidade-dormitório. Temos a taxa de desemprego mais baixa da região.

A qualidade de vida de que desfrutamos, o custo da habitação, a existência de excelentes acessibilidades e infraestruturas, o novo sistema PART – Programa de Apoio à Redução Tarifária, aplicada aos Transportes Públicos, a captação e instalação de novas empresas e criação de novos postos de trabalho explicam a procura da nossa cidade para viver.

PUB