O CDS-PP Entroncamento afirma-se estar solidário “com o executivo municipal, pelas medidas até aqui tomadas para combater a pandemia do COVID-19”, em comunicado emitido esta segunda-feira.

“O reforço das verbas para o Apoio Social de Emergência em cerca de 200.000 Euros, tendo que para isso anular toda a programação cultural até 30 de Junho, incluindo as Festas da Cidade, é um ato que queremos enaltecer, assim como todas as outras orientações que o município tem feito”, lê-se no comunicado.

O CDS-PP Entroncamento “acredita que o esforço que se está a fazer a nível municipal dará frutos, não deixando ninguém para trás. Sabemos que nesta altura de incertezas, nem todas as medidas serão populares, nem as mais acertadas. O CDS-PP Entroncamento acredita que em momentos como estes, mais vale uma decisão menos boa do que uma não decisão. Podemos até não concordas com as decisões, por isso estaremos cá para posteriormente aferir e denunciar caso existam decisões que consideremos erradas ou negligentes, mas por agora não é o tempo disso”.

No comunicado o CDS anuncia que “propôs ao executivo municipal, que os primeiros consumos de água ( de 3m3 a 5m3 ) fossem isentos de pagamento, tanto para o consumo doméstico como para o uso industrial/comercial”, no sentido de ajudar “o executivo a melhorar as condições de vida de todos, atendendo às indicações da Organização Mundial de Saúde da medida mais eficaz de evitar ser contagiado ser o lavar das mãos”.

O CDS-PP questionou também o executivo se “iriam haver medidas para salvaguardar os trabalhadores independentes que efetuam serviços ao município através do contrato de prestação de serviços”.

A terminar o CDS pediu a todos os cidadãos “que se limitem a sair de casa, no que seja realmente necessário, só assim podemos fazer parar esta pandemia. Somos um povo de afetos, mas para termos afetos precisamos de neste momento difícil saber conter essa nossa característica que tão bem nos define”.