Foto Montagem EOL

Os vereadores da oposição do Partido Social Democrata e Bloco de Esquerda na Câmara Municipal do Entroncamento emitiram um comunicado conjunto, este domingo sobre a “agressão a uma professora da Escola, por um encarregado de educação”.

“Na reunião de Câmara da passada segunda-feira, 4 de Novembro, no período antes da ordem do dia, o vereador do Bloco de Esquerda, secundado pelos vereadores do Partido Social Democrata solicitaram ao Presidente da Câmara esclarecimentos acerca dos factos ocorridos na Escola E.B. 2,3 Dr. Ruy d’Andrade na semana anterior, nomeadamente a circunstância de uma professora daquela escola ter sido agredida por um encarregado de educação e sobre qual o ponto da situação em relação às consequências e ao encaminhamento daquela grave ocorrência”, lê-se no comunicado, referindo ainda que “Os vereadores Tília Nunes e Henrique Leal foram mesmo desafiados pelo Presidente a elaborar o texto de uma moção de repúdio ao sórdido ataque de que foi vítima a professora e a manifestar a solidariedade e a colaboração do Município do Entroncamento a toda a comunidade escolar, pais, alunos, professores e assistentes operacionais. Concluía o Presidente que o texto da moção não remeteria para a chancela de nenhum emblema partidário, que seria uma posição unânime de todos os membros da Câmara. O texto foi redigido de imediato e aprovado por unanimidade. Esta moção ia dar corpo a um comunicado da Câmara do Entroncamento em nome de toda a vereação. O comunicado da Câmara Municipal foi tornado público na terça-feira durante o dia, mas a população do Entroncamento foi confrontada com um apressado comunicado da concelhia do Partido Socialista do Entroncamento na mesma madrugada que, à revelia de todos os princípios éticos, deontológicos, de falta de pudor e sem um pingo de vergonha na cara, vem à pressa verter lágrimas de crocodilo sobre o leite derramado, sem que na verdade, em tempo oportuno, tenham tomado qualquer posição”, referem os vereadores da oposição na Câmara Municipal do Entroncamento.

Os eleitos da oposição na Câmara Municipal do Entroncamento – do Partido Social Democrata e do Bloco de Esquerda – “revêem-se na moção aprovada por unanimidade, elaborada na reunião do Executivo Municipal, sem qualquer ranço ou tutela partidária, a manifestar o que todos tínhamos de manifestar e esperando soluções plausíveis e efetivas, sendo parte da solução e não do problema”, afirmam no comunicado, que questiona “porque é que aqueles titulares partidários do Partido Socialista, e públicos em funções autárquicas pagas com fundos públicos, não comunicaram nada durante toda a semana? Porque é que enfiaram as orelhas na areia como fazem os bichos sorumbáticos, porque é que assobiaram para o lado como fazem as cagarras e agora vêm, pressurosos e apressados denunciar o quê, prestar solidariedade a quem, pôr-se em bicos de pés para alcançar que objetivos inconfessáveis?”

A terminar os vereadores da oposição da Câmara Municipal do Entroncamento, “Aguardam agora que o Senhor Presidente da Câmara Municipal do Entroncamento e os restantes eleitos do Partido Socialista, solidários no mesmo gesto com os vereadores da oposição, se saibam dignamente demarcar da posição oportunista e despudorada daquelas mentes partidárias que, sem um pingo de vergonha na cara, se apressaram a enviar aquele escrito para a rua”.