Foto Lúcia Veríssimo
PUB

Disputou-se este domingo, no Campo do Bonito, a segunda edição do Troféu Cidade do Entroncamento, que opôs a equipa da casa, o Entroncamento AC, ao União de Tomar. A vitória acabou por sorrir aos tomarenses nas grandes penalidades, em jogo que serviu sobretudo para preparar o resto do campeonato distrital da A.F Santarém, interrompido a meio de janeiro devido ao agravamento da situação epidemiológica.

Após os noventa minutos persistiu o empate a uma bola, com os golos a surgirem apenas na segunda metade. João Lopes colocou o EAC em vantagem, mas o U. Tomar viria a empatar a dois minutos do tempo regulamentar, por intermédio de Rafa.

Na marcação das grandes penalidades, a equipa tomarense viria a ser mais competente, vencendo por quatro bolas a duas. Concretizaram para os tomarenses Cláudio Major, Siaka Bamba, Chrystian Pedroso e Nuno Rodrigues. Para os do Entroncamento, marcaram David Nunes e João Nogueira.

No final, os dois treinadores concordaram que o mais importante a reter foi a preparação para o recomeço das competições distritais e mostraram-se satisfeitos com a resposta dos seus jogadores. Para o treinador do EAC, Paulo Costa, “ foi um jogo importante para a retoma da competição e um desempenho muitíssimo bom da equipa do Entroncamento. Surpreendeu-me a forma como regressamos e defrontamos o U. Tomar. O objetivo principal foi cumprido na íntegra, independentemente do troféu ter ido para Tomar. Estamos a sete dias da retoma da competição, onde vamos fazer tudo por tudo para deixar o clube na primeira divisão distrital e com a atitude que os jogadores demonstraram hoje, isso vai ser conseguido.”

Filipe Pinto considera ter sido um bom jogo de treino e espera ainda vir a alcançar “lugares mais condizentes” com a valia do seu plantel. O técnico do União de Tomar mostra-se, no entanto, contra a retoma das competições: “Acho que se devia parar. Sei que o mister e o presidente do Cartaxo não vão concordar com o que eu digo, mas acho que era fácil para a associação. O Coruchense está com mérito, com uma vantagem grande sobre os restantes perseguidores e não havia muito a mexer. Os riscos, principalmente o dos clubes não poderem competir, podem colocar em causa o futuro mais próximo. Do meu ponto de vista, seria benéfico pararmos e recomeçar apenas quando estivessem reunidas todas as condições. Os clubes vão gastar muito dinheiro nestes dois meses e só um vai obter retorno, que é o que vai subir. Mas estamos cá para jogar e dar o nosso melhor.”

O campeonato distrital da A.F. Santarém regressa já no próximo domingo, com o Entroncamento AC a visitar o reduto do Cartaxo, enquanto o U. Tomar desloca-se a Abrantes.

João Lopes

 

PUB