O grupo Aves da Batalha e a 30POR1LINHA-Associação Sociocultural e Ambiental (Médio Tejo) vêm por este meio dar a conhecer quase duas dezenas de carvalhos-cerquinho de grande porte identificados nos concelhos da Batalha e de Tomar. Este trabalho de inventariação decorreu entre 2019 e 2020 e os seus principais resultados podem encontrados no artigo “Carvalhos-cerquinhos de grande porte dos concelhos da Batalha e de Tomar como embaixadores dos bosques de Quercus faginea Lam. (cercais) na zona centro de Portugal”, publicado no volume IV da revista LucanusRevista de Ambiente e Sociedade. Esta revista já se encontra disponível em formato digital e em breve será difundida por todos os municípios do país.

Este trabalho reúne informação de dezoito árvores de grande porte, 12 localizadas na Batalha e 6 em Tomar. Todas elas têm em comum o facto de possuírem um perímetro de tronco à altura do peito superior a 2,5m, critério que pode ser usado para o pedido de classificação de arvore de interesse público. De todos, destaque-se o carvalho do “Padre Zé”, não só por apresentar o maior perímetro de tronco, que o pode tornar no maior carvalho-cerquinho existente em Portugal, mas também pela história de sobrevivência associada a um padre ambientalista que viveu no período da 2ª Guerra Mundial.

A identificação e protecção destes carvalhos-cerquinhos singulares é um passo fundamental para a preservação destes habitats e de toda fauna e flora a eles associada.

Daí que outro objetivo deste trabalho tenha sido o de se iniciarem processos de protecção legal e conservação efectiva de alguns dos exemplares identificados. Até ao momento foram efectuados três pedidos de classificação como arvoredo de interesse público, tendo sido já obtida a classificação de um dos carvalhos deste inventário.

Outrora mais abundantes, os cercais que ainda restam nestes dois concelhos são o que resta do expoente máximo da floresta autóctone desta região. E para protegê-los é, igualmente importante, dar a conhecer e envolver as comunidades locais que convivem e sempre conviveram com eles. Pois, para além da sua importância ecológica têm também um valor social e cultural associado, que os torna testemunhos transgeracionais e verdadeiros “contadores” de histórias e de alterações da paisagem Este trabalho contou também com o apoio fundamental de dois investigadores, um do projecto Gigantes Verde de Lousada e outro do CIBIO, Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto.

Por fim, o Aves da Batalha e a 30POR1LINHA pretendem no futuro continuar com o trabalho aqui apresentado, de forma a aumentar a lista de carvalhos de grande porte da Batalha e de Tomar. Este inventário, puramente baseado em ciência cidadã, tenciona também servir de inspiração para outros cidadãos e entidades, de maneira a replicar este trabalho noutras regiões do país. É também vontade destas duas organizações continuar a trabalhar na sensibilização da comunidade, das autarquias e do Estado central para a protecção destes embaixadores do carvalho-cerquinho em Portugal. Contudo, há que salientar que este é um trabalho paciente e duradouro, e que deve ser encarado como transversal ao longo das gerações.

Link para o volume IV da Lucanus – http://www.lucanus.cm-lousada.pt/volume-iv/

Link para o artigo aqui divulgado – http://www.lucanus.cmlousada.pt/2020/11/27/carvalhos-cerquinhos-de-grande-porte/