Em comunicado emitido esta sexta-feira o PSD do Entroncamento exige a prometida ambulância do INEM aos Bombeiros Voluntários e que se encontra no “âmbito do procedimento de aquisição de 75 novos veículos, para o qual a maioria da verba não foi autorizada pelas Finanças e a ambulância existente do INEM está parada na oficina a aguardar que seja reparada”.

“O PSD Entroncamento tomou hoje conhecimento, através de vários órgãos da Comunicação Social, que o Ministério das Finanças não autorizou a utilização das verbas necessárias para a aquisição de novas ambulâncias pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), não obstante a verba ser do próprio instituto. A informação foi já confirmada pelo próprio INEM, bem como pela Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP). Em causa estão os 75 veículos que se destinam à renovação da frota de ambulâncias afetas aos corpos de bombeiros e a delegações da Cruz Vermelha, que compõem os postos de emergência médica, sendo que um dos veículos se destina à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários do Entroncamento. Para 2019, o plano do INEM previa a aquisição de 75 novas ambulâncias (o mesmo número de ambulâncias que, de acordo com o referido plano, foram renovadas em 2018), tendo o Instituto submetido ao Ministério das Finanças um pedido de autorização para utilização dos saldos de gerência do Instituto de anos anteriores, no valor de cerca de 5 milhões de euros. Acontece que o Ministério das Finanças autorizou apenas a utilização de um milhão de euros, verba manifestamente aquém do necessário para a prevista renovação das viaturas”, lê-se no comunicdo.

“O Deputado Duarte Marques face à situação incompreensível questionou hoje o Governo no sentido de ver clarificado se, por um lado, vai o Ministério das Finanças dar ao INEM a autorização para a utilização da verba necessária – e proveniente dos saldos de gestão do próprio instituto – para a aquisição das 75 ambulâncias, previstas para a renovação da frota em 2019 e, por outro lado, se existem outros casos, no INEM ou em outros organismos públicos, em que o Ministério das Finanças esteja a proibir ou a bloquear a utilização de verbas próprias desses mesmos organismos para a aquisição de bens ou serviços indispensáveis ao seu funcionamento ou atividade”.

A terminar o PSD Entroncamento afirma que “não deixará que este assunto caia no esquecimento e lamenta que, mais uma vez, o Governo do Partido Socialista coloque o Entroncamento para trás das costas, só se lembrando do concelho quando precisa dos votos das pessoas, como tem sido recorrente”.