(UM PING-PONG POLÍTICO QUE VEM DE LONGE!)
 
A respeito desta afelitiva deriva governamental (fruto das malditas cativações de Mário Centeno), nomeadamente no que toca ao colapso de certos hospitais e Centros de Saúde; à completa penúria a que chegaram a PSP, a GNR, e outros mais serviços da Administração Pública, vemos que o Sr. Presidente Marcelo Rebelo de Sousa se vem mostrando sereníssimo, e muito pouco ou quase nada nos diz! E, perante os batalhões de jornalistas vai-se limitando a atirar para o ar umas “esfarrapadas” exigências que, pelos vistos, ninguém está a pensar cumprir. Sobretudo os socialistas, e mesmo muitos outros portugueses com ou sem orientação partidária já nem o levam muito a sério, facto que não deixa de ser lamentável!
O que verdadeiramente pretende (MRS) é ser reeleito com o voto do PS. Mas, em minha opinião, ele está cometendo um enorme erro de cálculo ao pensar desse modo. Embora as pessoas do PS o tolerem por agora, continuam a não estimá-lo! Por isso, em próximas eleições presidenciais não deixarão, por certo, de apresentar o seu próprio candidato. Poucos acreditam que Marcelo tenha virado à esquerda. E o PS (leia-se Augusto Santos Silva) costuma dizer que gosta imenso de “malhar na direita”!
 
De que valerão, afinal, todos estes afectos demonstrados por Marcelo ao longo deste seu mandato se eles não conseguem traduzir-se em ganhos palpáveis para as populações mais desfavorecidas do interior? Ao contrário de marcar a sua voz presidencial, (travando os desmandos do Governo), sobretudo para obstar a que esse mesmo País interior definhe, inexoravelmente, e seja despojado de serviços Públicos essenciais, tais como balcões dos CTT mesmo em sedes de concelho e da Caixa Geral de Depósitos, postos de GNR e de atendimento da Saúde, transportes Públicos, etc. - o Sr. (PR) desdobra-se em despropositados elogios a ministros (alguns deles até já caíram pelo seu próprio pé), e em constantes alegações públicas internas e externas, fazendo crer que Portugal é o melhor dos mundos e seus arredores!... Com esta “estória” dos exagerados afectos, ainda em minha opinião, estará também o Sr. Presidente Marcelo a confundir os parâmetros do verdadeiro Estado Democrático Português: - É que, a “ Casa do Povo dos portugueses é o Parlamento; e o Palácio de Belém é o seu Estado”!
 
Enquanto líder partidário, (MRS) foi um rotundo fracasso! Bem ao contrário dele, todos sabemos que Cavaco Silva teve a arte e o engenho de unir os “cacos” em que o PSD se encontrava “estilhaçado”, fruto de intestinas guerrinhas operadas por Magalhães Mota e outros gulosos políticos da época! Joguinhos ao estilo dos que estão agora ocorrendo com as “rebeliões” efectuadas por Santana Lopes, e de outros que no horizonte já se perfilam no mesmo sentido! Só que agora, já o PSD não tem o tal verdadeiro “homem do leme”; e o actual líder, Rui Rio, não consegue - (como então conseguiu Cavaco Silva) – levar a água ao seu moinho! Mas o que mais impressiona em (MRS) é o azedume com que sempre lidou e ainda continua a lidar, quando se trata de comentar quaisquer assuntos que tenham por base a pessoa de Aníbal Cavaco Silva. Mais recentemente, quando do lançamento destas últimas obras sobre a sua biografia política, dada a forma um pouco “nervosa” da sua réplica frente aos jornalistas, em relação ao assunto foi claro e notório que esse acinte perdura!… Logo que encontra um microfone disponível à sua frente não resiste (como é seu timbre) de lançar umas “farpitas” ao seu antecessor! Parece-nos mesmo que Marcelo Rebelo de Sousa continua com o “drama” de ser ofuscado pela obra política de Cavaco Silva, e nos dá a entender que viverá num permanente e atroz estado de ciumeira?!
 
É certo que esta espécie de parti-pris, em relação a Cavaco Silva, não é uma exclusividade de Marcelo Rebelo de Sousa. Tem-se verificado com alguma insistência, que certos auto-iluminados da nossa praça - (esquerdistas e não só), teimam em não perdoar a Cavaco Silva o facto de ter chegado tão longe, quer política, quer socialmente, sem ajuda de “muletas”! A dor de cotovelo desses mesmos “figurões” é de tal ordem que, à falta de “armas” apropriadas para lutar lealmente e em campo aberto com esta destacada personalidade da vida pública Portuguesa, se limitam a caricaturá-lo como homem sem cultura e lhe vão "mordiscando" sorrateiramente os calcanhares, conotando-o com aparente desprezo como o “filho do gasolineiro de Boliqueime”! Com efeito, e dando por boa a teoria destes mesmos senhores, de que a cultura se adquire (por nascimento em berço de ouro), ou até apenas por se badalar aos quatro ventos que a possuem, como é que Cavaco Silva poderia ter acesso a essa mesma cultura, se os respectivos detractores se arrogam o direito do seu monopólio?!
 
Vem isto ainda a propósito das declarações há uns anos proferidas a um determinado Semanário jornalístico lisbonense por Marcelo Rebelo de Sousa, nas quais afirmava que não era um yes-man do PSD, e que foi o único que até então ousou dizer que Cavaco Silva não era homem de cultura política nem social, e que as suas duas maiorias eleitorais absolutas foram vulgaridades!!!
 
Vulgaridades chamaria eu às palavras de (MRS) a tal propósito, e concluo: - para então ter dito tais disparates, mais lhe valeria manter-se calado! Ao proferir tão risíveis afirmações, somos de opinião que o referido político e académico acabou por dar naquela altura um valente tiro no seu próprio pé! Com efeito, sendo Cavaco Silva um homem vulgaríssimo, segundo a opinião de (MRS), todos nós ainda hoje bem nos lembramos, que foi ele quem conseguiu o milagre de transformar o então “esfrangalhado” PSD, transformando-o no maior partido Português, e de forma inédita e incontestada ganhou sucessivas eleições! Ao contrário de Cavaco Silva, e pese embora Marcelo Rebelo de Sousa ser homem de reconhecida cultura e ter nascido em berço de ouro (o que sempre dá imenso jeito), nem sequer conseguiu ganhar umas simples eleições autárquicas, quando então enfrentou Jorge Sampaio, na corrida eleitoral para a Câmara de Lisboa!
 
 
 AUTORIA: Alfredo Martins Guedes Novembro - 2018