A Touriga Nacional, uma das mais nobres castas portuguesas, plantada na zona da Charneca da Quinta da Alorna, acaba de dar origem a mais uma das mais sedutoras propostas do portefólio da histórica propriedade: Quinta da Alorna Rosé 2017.
 
Da extraordinária vindima de 2017 surgem alguns dos melhores bagos de Touriga Nacional, que foram gentilmente desengaçados, ficando em contacto pelicular até o mosto adquirir a leve e sublime tonalidade rosa por que se destaca este vinho. Seguiu-se a sangria das uvas, clarificação e fermentação, com temperatura controlada de 15º C em cuba de inox, surgindo assim esta nova colheita.
 
Apontando para um patamar de excelência, Quinta da Alorna Rosé 2017 surpreende pelo aroma muito frutado, marcado pela groselha, framboesa e morango. O seu sabor intenso e persistente confirma as notas aromáticas, tendo um final de boca muito suave – combinando de forma subtil com pastas, saladas, sushi e entradas, além de ser também a opção ideal quando servido como aperitivo.
 
“Propusemo-nos a criar um Rosé de exceção e o objetivo foi conseguido, através da utilização de uvas que vêm de parcelas que apresentam caraterísticas diferenciadoras, da Charneca e de terrenos predominantemente argilo-arenosos, capazes de o dotar de elegância e frescura”, afirma a enóloga da Quinta da Alorna, Martta Reis Simões.
 
 
PVP Recomendado:
• Quinta da Alorna Rosé 2017 – 4,99€
 
SOBRE A QUINTA DA ALORNA:
 
A Quinta da Alorna é uma empresa familiar, produtora de vinhos, situada na margem do Rio Tejo, em Almeirim, que se destaca não só pela qualidade dos vinhos que produz, como também pelos seus espaços naturais.
 
Os seus 220 hectares de vinhas dividem-se em várias castas, originando vinhos com a qualidade, excelência e competitividade que os mercados nacionais e internacionais exigem. Atualmente, a Quinta da Alorna está presente em todo o mundo, desde a Europa (com forte incidência na Polónia, Inglaterra e Holanda), ao Brasil, passando pelos mercados Norte-Americano, Asiático e Russo.
 
Com uma produção média anual na ordem dos 1,85 milhões de litros, os vinhos da Quinta da Alorna são produzidos com recurso às novas tecnologias de vinificação. Além de vitivinicultura, a Quinta da Alorna aposta noutras atividades como agricultura, floresta, centro equestre e produção de energia.