Apesar de prevista a abertura do Parque Verde do Bonito para o dia 15 de Junho, primeiro dia das Festas de S. João e da Cidade, o Parque está aberto ao público desde o dia 11 de Maio.
 
Esta diretiva, assumida pelo Presidente do Município, prende-se com o facto das inúmeras solicitações, por parte dos munícipes, relativamente à sua utilização, uma vez que o tempo primaveril torna-se extremamente convidativo ao passeio ao ar livre, ao lazer e ao desfrute do espaço. Explicou em comunicado o Presidente da Câmara Jaime Ramos.
 
“Efetuada a inspeção da obra a 10 de Maio e asseguradas as condições de segurança, o Presidente do Executivo Camarário decidiu não privar, por mais um mês, os entroncamentenses da fruição daquele espaço verde privilegiado do nosso Concelho. A abertura efetuou-se apenas por esta razão, embora haja a consciência que o Parque não está concluído. Existem espaços, mencionadas nos placards, que só estarão concluídos numa segunda fase, como: Parque de Merendas; Parque de Minigolfe; Parque dos Jogos Tradicionais; Jardim dos Fenómenos; Parque Infantil; Circuito de Manutenção; Parque Permanente e Restaurante”, explica o comunicado.
 
No comunicado é ainda explicado que por razões de segurança, dos 6 portões existentes só 4 estarão abertos ao público, a saber:
Portão 1 – entrada Principal do Parque, voltado para o Parque de Estacionamento;
Portão 2 – localizado a Norte, junto ao viaduto que transpõe a Ribeira do Bonito e que liga o Entroncamento à Atalaia, perto da estrada onde existiu uma ponte antiga, em pedra, erradamente designada por “ponte Romana”;
Portões 5 e 6 – são os portões que ladeiam a barragem do Bonito.
 
Horário de Abertura:
Das 7:00H às 22:00Horas.
15 minutos antes do fecho dos portões os utentes serão avisados do seu encerramento através de um sinal sonoro.
 
Com o objetivo de elucidar os utilizadores ou visitantes, todos os painéis informativos onde constam espaços por concluir, serão devidamente assinalados.
 
Uma vez que o Parque de Merendas só será construído numa segunda fase, os munícipes são alertados, no sentido de não poderem fazer lume.