O ex-Presidente de Câmara e atual candidato pelo PSD às eleições autárquicas, Jaime Ramos convocou os órgãos de comunicação social para uma conferência de imprensa, na manhã desta terça-feira para esclarecer sobre a auditoria da Agência de Desenvolvimento & Coesão à operação “Construção da nova Escola Básica do 2º e 3º Ciclos Dr Ruy D’ Andrade”.
 
Jaime Ramos não compreende o “teor político e partidário do comunicado da Câmara Municipal, realizado exclusivamente pelo Presidente Jorge Faria e restante executivo, de 15 de maio de 2017, que visou culpar a gestão de Jaime Ramos, quando o próprio executivo de Jorge Faria contrariou liminarmente o IGF em todas as conclusões apresentadas, corroborou e defendeu totalmente todo o processo realizado em 2012 e 2013, pelo executivo de Jaime Ramos”.
 
Jaime Ramos forneceu aos jornalistas todos os documentos deste processo, incluindo o contraditório apresentado pelo executivo de Jorge Faria em que defende os procedimentos levados a cabo pelo seu executivo e depois o acusa de “adoção de procedimentos pouco claros e de má gestão de dinheiros públicos”.
 
“A metodologia de terrorismo político que tem sido seguida de forma recorrente por Jorge Faria e por quem o acompanha no executivo, não tem precedentes na história do Entroncamento. Com toda a certeza não encontra em mim, nem em todos nós Entroncamentenses que estamos juntos para cuidar da cidade qualquer resposta ao mesmo nível”, afirmou Jaime Ramos.
 
“Tudo o que agora expomos, prova que agimos em conformidade com todos os procedimentos legais neste Projeto da Escola Ruy d’ Andrade. Ao atual executivo nem a autointitulação de “salvador da pátria” ou “resolvedor de problemas” lhe cabe mérito, neste e em todos os casos que tenta utilizar como terrorismo político. Apenas teve que agir em conformidade com o que estava conforme”, disse o candidato do PSD.
 
“A defesa da autarquia tem que ser assumida mais uma vez e portanto, sempre estivemos e estaremos ao lado deste executivo na necessidade de avançar com o processo para Tribunal através de providência cautelar que assegure a defesa de todos, tal como foi informado pelo Presidente Jorge Faria, em 15 de maio de 2017, na reunião de Câmara”, afirmou Jaime Ramos que a terminar manifestou-se “totalmente disponível para lutar por todos nós e trabalhar todos os dias por uma decisão justa e que não penalize a cidade. É o Entroncamento que nos move e não a guerra política que alimenta Jorge Faria e o seu executivo”