No próximo dia 21 de outubro vai realizar-se mais um almoço convívio dos militares e civis que estiveram colocados ou em diligência permanente na Base Aérea N.º 3 (BA3), em Tancos, no concelho de Vila Nova da Barquinha.
 
Esta iniciativa, que vai já na 16.ª edição, inicia-se com a concentração na porta de armas da Ex BA3, logo pela manhã (09:30), seguida de missa na Capela da Unidade, meia hora mais tarde.
 
Ponto alto do encontro, a entrega da Medalha de Honra do Município de Vila Nova da Barquinha ao Major General Carlos Perestrelo (11:00) e lançamento do livro “Base Aérea de Tancos 1921-1994”, da autoria do Tenente-coronel Aires Marques. O almoço, será servido na Quinta das 3 Ribeiras pelas 12:30.
 
Atividades culturais irão preencher a tarde dos convivas, por entre memórias de outros tempos e momentos de confraternização.
 
Para mais informações ou inscrições, deverá ser contactado o e-mail: comissaoalmoco.ba3@gmail.com.
 
MEDALHA
 
O Major General do Exército Português, Carlos Alberto Grincho Cardoso Perestrelo, comanda a Brigada de Reação Rápida (BrigRR), no Aeródromo Militar de Tancos, em Vila Nova da Barquinha, desde 17 de Outubro de 2014.
 
Esta BrigRR, na salvaguarda do interesse nacional, participa da defesa do território nacional e em outras missões de interesse público, bem como apronta e mantêm em elevado estado de prontidão as suas unidades operacionais para serem projetadas para os teatros de operações como forças nacionais destacadas, no cumprimento dos compromissos internacionais assumidos por Portugal.
 
Fazem parte do seu Comando as seguintes unidades:
O Centro de Tropas de Operações Especiais, em Lamego;
O Regimento de Artilharia n.º 4, em Leiria;
O Regimento de Cavalaria n.º 3, em Estremoz;
O Regimento de Comandos, na Serra da Carreira, Sintra;
O Regimento de Infantaria n.º 1, em Beja;
O Regimento de Infantaria n.º 10, em S. Jacinto, Aveiro;
O Regimento de Infantaria n.º 15, em Tomar;
O Regimento de Paraquedistas, no Polígono Militar de Tancos, Vila Nova da Barquinha;
A Unidade de Apoio da BrigRR, no Polígono Militar de Tancos, Vila Nova da Barquinha.
 
Para além de distintos cargos e funções que desempenhou durante a sua notável e longa carreira militar, importa relevar a magnífica cooperação institucional que mantêm com este Município, o que muito nos honra e orgulha.
 
Desde a primeira hora apoiou a Câmara Municipal, o Agrupamento de Escolas, as nossas Associações e Coletividades, permitindo a realização de atividades escolares, a demonstração de eventos militares, quer nas unidades quer junto das populações civis. São muitos os exemplos, que vão desde o empréstimo de materiais, à permissão de visitação a unidades por onde passaram milhares de cidadãos no cumprimento do serviço militar, na abertura do espaço museológico das tropas paraquedistas, com enorme legado histórico e documental, na demonstração de saltos de paraquedas, nas exibições cinófilas, na disponibilização de balão de ar quente, na cedência de instrutores para aulas de ciência, etc.
 
Face ao anteriormente exposto, é de toda a justiça reconhecer publicamente as excecionais qualidades e virtudes militares e pessoais que creditam o Major-general Perestrelo como um Oficial que pautou sempre a sua atuação pelo apoio inexcedível a este Município, sempre na defesa de causas públicas, de que resultou honra e lustre para as Forças Armadas e para Vila Nova da Barquinha.
 
É por isso de inteira justiça homenagear o Major General, do Exército Português, Carlos Alberto Grincho Cardoso Perestrelo, com a Medalha de Honra do Município pelos serviços excecionais prestados à comunidade, ao nosso concelho e a Portugal.
 
LIVRO - BASE AÉREA DE TANCOS 1921-1994
 
A história da “Base Aérea de Tancos”, da autoria do Tenente-coronel Aires Marques, é um inestimável contributo para o conhecimento das raízes da árvore centenária da História da Aviação Militar Portuguesa.
É uma viagem ao longo das 424 páginas que celebra a vida, a história e as estórias da Base Aérea de Tancos desde a sua criação em 1921, como Esquadrilha Mista de Depósito, depois Grupo Independente de Aviação de Proteção de Combate, Base Aérea de Tancos e, finalmente, Base Aérea n.º 3 até à sua desativação em 1994.
 
Revisitam-se lugares, pessoas e ações, numa escrita baloiçada entre a suave doçura das paixões bem guardadas e a clareza dos desmandos implacáveis do destino.
 
É um monumento de desgostos e alegrias, que lembra e reconhece a dedicação, o sacrifício a excelência desses notáveis homens e mulheres que serviram aquela Unidade.
 
Por outro lado, retrata, particularmente, o papel da Base ao serviço duma Força Aérea que se construiu, pacientemente, através da proteção do espaço aéreo nacional, através dum conflito pesado, que, em destinos remotos, consubstanciou o valor da sua missão e que no pós-guerra, voltou a materializar inúmeras ações e missões na defesa da soberania e na salvaguarda do bem-estar e segurança das populações, onde esse valor da missão continuou inquestionável.
 
E recorda, sobretudo, uma Força Aérea que soube sempre preservar qualidades de resiliência, adaptabilidade, alcance e flexibilidade, como testemunhos essenciais para a defesa da nossa Pátria.
 
Ou seja, o livro é um repositório de extraordinário valor porque preserva a Memória coletiva da Força Aérea e a sua evolução, marcada por inúmeras adaptações, profundas transformações, momentos difíceis, causados pelo turbilhão da história, importantes inovações tecnológicas ou, simplesmente, a necessidade de permanecer em curso com os tempos e com uma sociedade perpetuamente em mudança.
 
Mas o livro é, sobretudo, uma história de família, retratando, gerações sucessivas de Militares e Civis da Força Aérea, fortemente ligadas à sua Instituição, que viveram com entusiasmo a sua profissão, a sua paixão pela aviação e o orgulho de terem servido a Nação.
 
Por isso, o livro “Base Aérea de Tancos 1921-1994” constitui-se, como um testemunho vivo dos 73 anos de Missão da Base de Tancos.