Representantes das várias entidades envolvidas estiveram esta manhã na Linhaceira para assinalar a abertura da nova sala de aulas que, com carácter provisório, vai acolher uma das turmas do 1º ciclo, permitindo assim evitar a existência de horários desdobrados naquela que é uma das escolas com mais alunos no universo rural do concelho.
 
A presidente da Câmara Municipal de Tomar, Anabela Freitas, o vereador da Educação, Hugo Cristóvão, o presidente da Junta de Freguesia de Asseiceira, Carlos Rodrigues, o director do Agrupamento de Escolas Templários, Carlos Ribeiro, e o presidente da Associação de Pais e Amigos das Escolas de Linhaceira, Nuno Garcia Lopes, observaram as características da nova sala, instalada num contentor com todas as condições para o efeito, e onde a turma do 4º ano já teve aulas.
 
O processo começou no Verão passado, perante a vontade do recém-eleito director do Agrupamento de acabar com os horários desdobrados, vontade partilhada por toda a comunidade escolar. Porém, a preocupação com a garantia de não se perderem as condições oferecidas às crianças no ATL gerido pela Associação de Pais, levou a que se tentasse encontrar uma solução que permitisse mantê-lo a funcionar na antiga sala da EBM.
 
O executivo municipal anterior, por unanimidade, aprovou então uma proposta de aquisição de um contentor para a nova sala, enquanto as várias entidades envolvidas celebraram um acordo com a Comissão de Culto da Capela da Linhaceira para o funcionamento da sala de aulas, durante o 1º período, no salão da igreja.
 
Após a sua entrada em funções, esta questão foi prioritária para o novo executivo camarário, que celebrou com a empresa Algeco, especializada neste tipo de equipamentos para escolas, um contrato de aluguer por nove meses, pelo valor de 3496,50 €, a que acrescem 1420 € de transporte e instalação (valores a que se soma o IVA). No final do período mínimo de nove meses de aluguer, a Câmara poderá optar por prolongá-lo ou adquirir o contentor.
 
Todos os prazos foram cumpridos, de modo a que, no início do 2º período, a sala, no recinto partilhado com o ATL, estava em condições de funcionamento, como foi constatado por todos os presentes e confirmado pela professora Ana Martinho.
 
Para além das infra-estruturas necessárias, efectuadas pelos serviços camarários, a Junta de Freguesia tratou do sistema de drenagem do recinto e cimentou o acesso da nova sala às casas de banho. Tal como fora prometido também desde o início, a Associação de Pais irá agora responsabilizar-se pela construção de uma cobertura que permitirá que as crianças possam deslocar-se com comodidade às instalações sanitárias, mesmo em tempo de chuva, e que criará também uma área de recreio mais vasta debaixo de telha, com benefícios para a EB1 e para o ATL.
 
Na visita efectuada esta manhã, a presidente da Câmara congratulou-se com a forma como todo este processo foi concluído dentro dos prazos previstos e com resultados visíveis para o bem-estar das crianças.
Uma opinião partilhada pelos representantes das outras entidades envolvidas. O director do Agrupamento salientou o seu empenho em acabar com os horários desdobrados e a forma como as várias entidades colaboraram no sentido de se chegar ao resultado final.
 
O presidente da Junta de Freguesia reiterou a ideia e frisou o facto de se ter conseguido, assim, dar melhores condições aos alunos, preservando o apoio que o ATL dá às famílias.
 
O presidente da Associação de Pais destacou o modo como as diversas entidades se uniram para dar às crianças as melhores condições, agradecendo a todos, em nome dos pais, mas lembrando que se trata de uma solução provisória, que só o Centro Escolar colmatará, o que foi também acentuado por Carlos Rodrigues.
 
Anabela Freitas, que sempre tem sublinhado a prioridade a dar ao Centro Escolar da Linhaceira, garantiu que é esse também o entendimento da Câmara Municipal, e que o projecto está a ser revisto e será devidamente discutido, a seu tempo, com a população, de modo a poder ser candidatado ao próximo Quadro Comunitário de Apoio quando houver condições para isso, não se repetindo os erros do passado que levaram a que esse projecto não tivesse avançado.