A Guarda Nacional Republicana (GNR), de 29 de dezembro de 2017 até ao dia 2 de janeiro de 2018, intensificou o patrulhamento e a fiscalização rodoviária nos itinerários de e para os locais associados às festividades do Ano Novo, bem como a presença física nesses locais, com o objetivo de reforçar a segurança e prevenir a ocorrência de acidentes rodoviários.
 
Durante os quatro dias de operação e, comparativamente a igual período de 2016, no que diz respeito à sinistralidade rodoviária, a GNR, na sua área de responsabilidade registou 858 acidentes (menos 84), três mortos (menos quatro), dez feridos graves (menos oito), 339 feridos leves (mais 62).
 
No que concerne à fiscalização rodoviária, a GNR, no âmbito da operação, registou os seguintes autos de contraordenação:
• 2 392 por excesso de velocidade;
• 720 por condução sob a influência do álcool, dos quais 225 detidos com taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l;
• 322 por falta de inspeção periódica;
• 251 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;
• 201 por utilização indevida do telemóvel durante a condução;
• 187 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;
• 183 pela incorreta ou não utilização do cinto de segurança;
• 12 motociclistas por não utilização de capacete.
 
No distrito de Santarém, durante a operação e, comparativamente a igual período de 2016, no que diz respeito à sinistralidade rodoviária, a GNR, registou 39 acidentes (menos 18), zero mortos (menos um), um ferido grave (menos um) e 25 feridos leves (mais 7).
 
No que concerne à fiscalização rodoviária, a GNR, no âmbito da operação, registou os seguintes autos de contraordenação no distrito de Santarém:
• 90 por excesso de velocidade;
• 35 por condução sob a influência do álcool, dos quais 8 detidos com taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l;
• 26 pela incorreta ou não utilização do cinto de segurança.
• 22 por falta de inspeção periódica;
• 22 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;
• 21 por utilização indevida do telemóvel durante a condução;
• 9 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;