Nos dias 9 e 10 de julho os alunos do 2º ano dos cursos de Mecatrónica e Mecatrónica Automóvel da Escola Profissional Gustave Eiffel do Entroncamento apresentaram os seus Projetos Tecnológicos.
 
Durante dois dias, a Escola Profissional Gustave Eiffel teve aberta ao público para as apresentações dos projetos tecnológicos que os alunos desenvolveram ao longo do ano letivo. Carlos Sousa, coordenador do curso de Mecatrónica, explica que esta “ é uma preparação para os projetos finais do 3º ano, o último do curso, que são as PAP´s e nós aqui na escola profissional da Gustave Eiffel no 2º ano fazemos um projeto que é já de preparação para o projeto final”.
 
O dia 9 foi dedicado ao curso de Mecatrónica, Carlos Sousa explicou que este ano os projetos estiveram mais direcionados para a “serralharia mecânica e mecânica”, como por exemplo, uma “roçadeira, crivo, uma máquina para dobrar tubos e depois temos outras mais eletrónicas como por exemplo um carro telecomandado através de microcontroladores, uma passadeira elétrica de separação de material de ferro ou não através também de microcontroladores”.
 
No segundo dia foi a vez do curso de Mecatrónica Automóvel, Luís Ferreira coordenador do curso explicou ao entroncamento online no que consiste este curso “embora o curso de mecatrónica automóvel tenha componentes que não são só específicas do ramo automóvel mas eles adquirem outras competências, ao nível da eletrónica, eletricidade, mecânica, serralharia, soldadura, desenho, desenho assistido do computador, tudo isso pode ser aplicado na execução dos projetos”. Uma área vocacionada para “os veículos motorizados, nomeadamente as motas, automóveis, sobretudo trabalhar com motores elétricos ou de combustão interna”. Os projetos deste ano estiveram ligados essencialmente à “motorização de bicicletas e triciclos derrapantes”.
 
Num evento aberto a qualquer pessoa, Luís Ferreira explica a importância que isso pode ter para os alunos, “tem muito interesse para lá fora, para as pessoas das empresas saberem onde é que estão e que competências é que adquirem aqui os nossos alunos que poderão ser potenciais trabalhadores dessas empresas”.
 
Rita Inácio