De acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, no próximo fim-de-semana e até 3ª feira, ocorrerão temperaturas muito elevadas na área geográfica do Médio Tejo, sendo expectável que os serviços de saúde mantenham um nível de alerta elevado, enquanto a situação descrita se mantiver.
 
Entre muitas outras medidas, é necessário não esquecer que as pessoas mais suscetíveis (os idosos que padecem de doença crónica e as crianças) devem ser afastadas do calor, permanecendo em lugares frescos durante o período mais crítico (entre as 11 e as 17 horas) e termos presente a importância de lhes assegurarmos um consumo adequado de líquidos, para evitar a desidratação. Dado que os dias de maior calor vão ocorrer durante o fim-de-semana, é importante relembrar a importância da utilização de cremes protetores sempre que há exposição solar e que frequentar a praia entre as 11 e as 17 horas pode ser muito prejudicial para a saúde.
 
PREVENÇÃO DOS EFEITOS DO CALOR
Recomendações para grupos vulneráveis
 
Algumas pessoas são mais vulneráveis aos efeitos do calor intenso e exigem uma atenção especial e medidas específicas para estarem protegidas, nomeadamente:
 
1. Crianças nos primeiros anos de vida
2. Pessoas com 65 ou mais anos
3. Portadores de doenças crónicas
4. Pessoas que desenvolvem atividade no exterior, expostos ao sol e/ou ao calor
5. Praticantes de atividade física
6. Pessoas isoladas e em carência económica e social


1 - Crianças nos primeiros anos de vida
 
Bebés e crianças pequenas são especialmente sensíveis aos efeitos do calor intenso e dependem dos adultos para se manterem seguros. Proteja-os do calor intenso.
 
Principais cuidados a ter:
• Vestir a criança com roupas leves, soltas e de cor clara. Não esquecer o chapéu quando estiverem ao ar livre
• Dar água com mais frequência e certificar-se de que bebe mais água do que o habitual
• Evitar a exposição direta ao sol, especialmente entre as 11 e as 17 horas
• Aplicar protetor solar antes de sair de casa
• Nunca deixar o seu bebé/criança dentro de um carro estacionado ou outro local exposto ao sol, mesmo que por pouco tempo
• Consultar o seu médico se a criança tiver diarreia ou febre e ter especial cuidado com a hidratação
• Procurar assistência médica imediatamente sempre que identifique sinais de alerta como: suores intensos; fraqueza; pele fria, pegajosa e pálida; pulsação acelerada ou fraca; vómitos ou náuseas; desmaio


2 - Pessoas com 65 ou mais anos
 
O calor é especialmente perigoso para as pessoas idosas, que pode ter menos perceção nas alterações associadas ao calor. É frequente não sentir sede o que leva a uma menor ingestão de líquidos. Por outro lado, o organismo pode não ter a mesma capacidade para realizar a termorregulação necessária para prevenir os efeitos negativos do calor intenso na saúde.
 
Principais cuidados a ter:
• Beber água, mesmo quando não tem sede
• Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado
• Sempre que necessário procurar locais climatizados
• Evitar a exposição direta ao sol
• Usar roupas leves, soltas e de cor clara e a utilização de chapéu e protetor solar
• No período de maior calor tomar um duche de água tépida
• Fazer refeições mais leves e comer mais vezes ao dia
• Evitar a utilização do forno ou de outros aparelhos que aqueçam a casa
• Ter contacto de alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho)
• Consultar o seu médico em caso de doença crónica ou se estiver a fazer uma dieta com pouco sal ou com restrição de líquidos
 
3 - Portadores de doenças crónicas
 
As pessoas com doença crónica são mais vulneráveis aos efeitos do calor, pelo que é necessário ter cuidados especiais. É o caso das pessoas com diabetes, doença cardíaca, vascular, respiratória, renal, mental e ainda das que tomam medicamentos que diminuem a sensação de calor ou provocam retenção de água ou de sal (anti-hipertensores, antidepressivos, antipsicóticos e medicamentos para a doença de Parkinson, entre outros).
 
Principais cuidados a ter, salvo indicação médica:
• Beber água, mesmo não sentindo sede
• Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado
• Evitar a exposição direta ao sol
• Usar roupas leves, soltas e de cor clara e utilizar chapéu e protetor solar
• Usar menos roupa na cama, em especial pessoas com fraca mobilidade ou acamadas
• No período de maior calor, tomar um duche de água tépida
• Evitar a utilização do forno ou outros aparelhos que aqueçam a casa
• Ter alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho)
• Se tiver algum sinal ou sintoma associados ao calor, procurar cuidados médicos de imediato
• Evitar a exposição dos Medicamentos a temperaturas elevadas
 
4 - Pessoas que desenvolvem atividade no exterior, expostos ao sol ou calor
 
Pessoas directamente expostas ao calor, têm maior risco de desidratação ou problemas associados ao calor.
Principais cuidados a ter:
• Beber água frequentemente
• Evitar consumir líquidos com muito açúcar e bebidas alcoólicas
• Usar equipamento leve e protetor solar desde que seja possível e seguro
• Nas pausas aproveite para arrefecer, se possível em locais com ar condicionado
• Tente desenvolver a sua atividade com outros colegas por perto
• Procure apoio médico de imediato se algum dos seus colegas se sentir mal
 
5 - Praticantes de atividade física
 
Mesmo as pessoas saudáveis podem sofrer as consequências negativas do calor intenso. Se costuma realizar atividade física, não descure os cuidados a ter em situação de calor intenso.
Principais cuidados a ter:
• Começar e terminar a atividade física de forma lenta e gradual
• Optar pela manhã cedo ou pelo final do dia e evite as horas de maior exposição solar, entre as 11h e as 17h
• Beber água frequentemente: antes, durante e no final da prática de atividade física. Se transpirar muito, opte por uma bebida com eletrólitos (bebidas para desportistas)
• Evitar consumir líquidos com muito açúcar
• Realizar atividade física com companhia
• Parar de imediato a atividade se sentir fraqueza ou sensação de desmaio
 
6 - Pessoas isoladas e em situação de carência económica e social
 
No que respeita a pessoas isoladas e em situação de carência económica e social que necessitem de apoio institucional ou de apoio de pessoas próximas, devem ser consideradas as recomendações gerais, sendo de destacar alguns cuidados específicos.
Principais cuidados a ter:
• Contactar de forma periódica, verificando o estado de saúde das pessoas isoladas, em carência económica e social, frágeis ou com dependência. Deverá ser realizado um contacto pelo menos duas vezes por dia
• Informar sobre locais climatizados
• Informar sobre as condições climatéricas