Os deputados do CDS-PP Patrícia Fonseca e Hélder Amaral questionaram o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas (MPI) sobre o encerramento de balcões dos CTT de Alferrarede e Alpiarça.
 
Na pergunta, os deputados questionam se o Governo teve conhecimento prévio da decisão de encerramento dos balcões dos CTT de Alferrarede/Abrantes e Alpiarça, e se sim, quando, e quais os critérios apresentados pela empresa e que justifiquem a opção pelo encerramento dos balcões dos CTT de Alferrarede/Abrantes e Alpiarça.
 
Patrícia Fonseca e Hélder Amaral questionam ainda que alternativas de serviço postal universal vão ser oferecidas às populações de Alferrarede/Abrantes e Alpiarça, na sua área de residência, e querem também saber se com a decisão de encerramento destes balcões dos CTT continua assegurado o contrato de serviço postal universal existente os CTT e o Estado.
 
Entre os encerramentos anunciados, constam os balcões de Alferrarede/Abrantes e Alpiarça, no distrito de Santarém, anúncio que surpreendeu as populações, já que estes balcões serviam milhares de habitantes destes dois concelhos.
 
É consensual a necessidade de lutar contra a desertificação das regiões de interior, mais despovoadas, em que a população idosa é maioritária, pessoas que vivem sozinhas e por isso com dificuldade de deslocação.
 
A concretizar-se, o encerramento dos balcões dos CTT de Alferrarede/Abrantes e Alpiarça irá colocar em causa, não só o serviço de proximidade às populações e às empresas, mas também a própria qualidade do serviço postal universal, já que as populações em causa ficarão privadas do acesso de proximidade a apartados, encomendas ou à reentrega de correio registado.