Em moção aprovada na mais recente reunião do executivo, defende-se uma solução que una “as duas partes da cidade e facilite o acesso direto a cada uma das plataformas, de forma cómoda e segura, transformando a estação do Entroncamento num verdadeiro hub regional de transporte ferroviário, moderno e dinâmico.
 
A moção, inicialmente avançada pelo vereador Henrique Leal (BE), acolheu alterações propostas por outros partidos e acabaria aprovada por unanimidade.
 
O documento que vai ser enviada a diversas entidades considera a atual passagem aérea “um problema de segurança” que conduziu a estação a “um problema de segurança ainda mais grave e complexo”.
 
“Neste momento os meios de socorro não conseguem aceder a todas as plataformas da estação de forma rápida e eficiente” acusa a Câmara.” A simples extração em maca de um cidadão é um exercício perigoso tanto para a vítima como para os bombeiros pois estes equipamentos de socorro não cabem nos elevadores e o desnível das escadas, que se encontram molhadas uma parte do ano, é muito acentuado.”
 
Mas acusações da autarquia vão mais longe. “Mesmo ao nível do conforto, a solução encontrada não responde minimamente às necessidades dos utilizadores. Os elevadores avariam com facilidade e quando estão a funcionar andam sempre lotados. A passagem pedonal é exígua e a céu aberto, onde cabem duas pessoas lado a lado apertadas, e tem de dar resposta a milhares de utilizadores. Sendo que de inverno é impossível o cruzamento de duas pessoas, com o chapéu de chuva aberto, sem se molharem.”