Afinal o valentão do senhor Bruno de Carvalho recuou na ideia (magnífica!) de se demitir de presidente do Sporting. Por certo fez as contas e verificou que sairia desta “façanha” muito prejudicado caso se retirasse de cena pelo seu próprio pé. Assim, com este estratégico recuo, atira com o ónus da respectiva demissão para a assembleia-geral do clube leonino, que certamente lhe terá de pagar uma choruda indemnização, caso esteja plasmada no contrato!
 
Triste sina tem o clube do meu coração. Agora que parecia querer levantar a cabeça, entra em campo o próprio presidente a desestabilizá-lo! Com amigos destes a marcar golos na própria baliza, não precisa o Sporting de se preocupar com inimigos externos!
 
Apanha-se com uma televisão e um microfone na sua frente e já não há quem o cale. Farta-se de debitar disparates, que apenas prejudicam o clube leonino. Quem se julga ser Bruno de Carvalho? Um filósofo grego ou francês? Se ele próprio se tem nessa conta, penso que está muito equivocado, visto que o seu discurso roça os anais da vulgaridade e até da inconveniência social!
 
Esta espécie de obsessão truculenta de Bruno de Carvalho em se expor tão assiduamente à comunicação social, faz-me lembrar aquele idêntico apetite verbal de Honoré Mirabeau – (1749 – 1791), famoso filósofo e activista da Revolução Francesa.
 
Não dispondo dos meios tecnológicos comunicacionais de hoje, limitava-se então aquele ilustre académico francês a aproveitar qualquer altinho de rua, bancos ou coretos dos jardins públicos e mesmo até altos escadórios, para dali “botar” discurso aos passantes, facto que lhe valeu o epíteto de “Mirabeau da canalha”!
Pela parte que me toca rezo a todos os santinhos para que o mandem embora o mais breve possível. Só assim o Sporting e os respectivos jogadores passarão a ter a necessária paz, para conseguirem obter melhores resultados desportivos!
 
Alfredo Martins Guedes